quinta-feira, 28 de junho de 2012

Sei lá.....

Nem o sei o que dizer apenas sei que quando olho essa grandeza ao meu redor só me vejo barco pequeno e sem rumo o vento vai soprando e eu vou indo.Triste,alegre,chorando ,sorrindo... Olhar a grandeza me faz perceber quão mesquinhas são as minhas preocupações.Tenho uma grande amiga que hoje esta morando na Africa  é, vejo coragem nos atos dela e vi medo também em seus olhos quando teve que decidir .Sim decidir partir,decidir se doar em missão por quem mais precisa.E hoje olhando pra minhas infinitas  fraquezas e meus incontáveis sonhos percebo o quanto a covardia  se faz presente ,no medo de falar,de mostrar aquilo que sinto aquilo que eu desejo que eu busco.No meu caso o medo de cantar a minha musica de fazer com que outros escutem a minha voz...Sempre serei barco,nunca serei mar....se o medo de abandonar o cais me perseguir nunca verei oceanos.
A vida é o mar ,eu sou barco, o vento vai ser a vontade que me guia,hoje ouvi uma musica  e me levou pra umas tempestades no meio do nada,  pude ver com clareza minha covardia  em locais onde eu devia ter deixado as redes ,ter deixado o cais..e fui covarde.Diante da vida eu sou barco e não quero me prender em portos não seguros..ao contrário quero me lançar,quero me deixar levar pelo vento que sabe onde quer soprar ele sabe pra onde vai...e eu também quero ir.É dona Ana as bananas estão ganhando nomes...E as vontades também  o medo do tempo presente assombra mas esperança deve ser maior.Querida Ana saudades das nossas conversas de butiquim ..kkkkkk até parece mas é mesmo assim só nas mesas de butiquins temos coragem de abrir as portas e brindar avida não é mesmo.Bem é essa doce presença que se encontra no acomchego do abraço de um amigo  pareço confusa? é talvez esteja ...mas vamos aclareando nossa mente a cada papo aberto né ...Beijos querida saudações.

Nenhum comentário:

Postar um comentário